An orange circle and a purple circle represent connectivity.

Roberto Toscani é um inovador apaixonado. Ele foi um dos primeiros a desenvolver um software de gestão de ferrovias que lida com todo o treinamento dos funcionários e a programação para garantir o desempenho e a segurança dos ativos.

“Eu comecei com fornecedor de software como serviço (software as a service) antes que termo tivesse sido cunhado” – disse ele. “Minha paixão sempre foi entender as necessidades dos clientes e do mercado”.

Depois que se formou em engenharia de telecomunicações, ele trabalhou na área de TI por doze anos, como desenvolvedor, analista e gerente de projetos, na Microsoft Dynamics NAV, com transporte ferroviário e processamento de alimentos.

O transporte foi uma inspiração desde a infância, cada vez mais em voga em Piacenza, uma cidade no norte da Itália com ótima culinária, arquitetura e mobilidade. Piacenza também é um importante centro econômico a cerca de 50 km ao sul de Milão, e tem uma grande estação intermodal de cargas e passageiros, com conexões para Bélgica, Alemanha, Itália, Holanda, Polônia e Romênia.

Foi ali que ele jogou futebol, se casou e manteve seu local de trabalho e sua vida familiar.

“Eu optei pelas ferrovias devido ao potencial, e a minha ideia era criar um produto para um mercado vertical” – explicou.

O mercado ferroviário na Europa, antes do final dos anos 1990, era uma operação pública, tanto para passageiros quanto para cargas. As mudanças na legislação abriram o setor para empreendimentos privados, incluindo empresário como Roberto.

Embora outras pessoas estivessem integrando soluções para software de transportes, ele estava desenvolvendo um produto a partir da estaca zero, que poderia ser feito sob medida conforme as necessidades dos clientes.

A essa altura, Roberto já havia se estabelecido como especialista em software para ferrovias; ele decidiu pular de cabeça e abrir sua própria empresa, a Binary System, em 2012, com sede na sua terra natal.

O nome é um trocadilho com o termo “binario”, que em italiano significa trilho ferroviário e em linguagem de informática, significar “binário”.

“Eu pensei que simplesmente tinha de fazer aquilo. Aluguei um escritório e contratei três funcionários em dois meses” – conta ele sobre o turbilhão que foi o início da sua empresa. “Eu tinha contas a pagar em casa, filhos e uma empresa. Olhando para trás agora, eu não tenho certeza se faria tudo da mesma forma”.

A Binary System alcançou o sucesso rapidamente, com sua solução modular SoftRail, que estabeleceu uma base de referência na Itália, expandindo-se para a Alemanha em 2015, e agora atendendo a 50 empresas em toda a Europa.

Ele tinha uma visão muito clara e assumiu um compromisso com a esposa de vender a empresa até 2020. O que ele de fato fez, juntando-se ao grupo Modaxo com uma nova meta de levar a Binary System para o mercado global.

Embora alguns empresários vendam suas empresas para usufruir de uma boa aposentadoria, Roberto diz que isso nunca foi parte do seu plano.

“Eu ainda sou jovem. Estou pronto para dar o próximo passo, para uma nova oportunidade”.

Agora ele está entusiasmado em ser parte da Modaxo, ajudando a moldar a missão e as ofertas do grupo, e expandindo a Binary System, de um espaço dedicado a cargas para o transporte de passageiros. Ele está animado para abrir novas trajetórias profissionais para seus funcionários dedicados, que se mantiveram firmes durante a transição.

Mas nem tudo está relacionado a sistemas ferroviários para Roberto. Ele tem muitos interesses diversificados, um dos mais expressivos são os trenós puxado por cães.

“Sou novo nessa atividade, e comecei há dois anos e estou adquirindo apenas meu terceiro cachorro” – disse ele.

“Minha paixão são os Huskies Siberianos. O primeiro chegou há três anos, mas este é o meu sonho desde a minha juventude”.

Construir sua própria equipe de cães para puxar trenós exigiu muita negociação, convencendo sua esposa de que ele precisava de outro cachorro. Ele tem dois filhos e uma carga de trabalha bastante pesada, e os cães precisam de muito tempo e atenção também.

É claro que na Itália só neva por um período breve. Quando ele não está treinamento os cães com um trenó, ele usa um simulador de três rodas, uma versão do esporte em solo seco vista em todo o mundo.

Empreendedores como Roberto são vencedores. Gente que calcula os resultados, mas certamente segue seus instintos com a cara e a coragem para assumir riscos. São pessoas que fazem as coisas acontecerem.

Quem sabe um dia veremos Roberto partindo para o Alasca para participar de uma Iditarod. Ele claramente tem o entusiasmo para isso.


Continuar explorando