An orange circle and a purple circle represent connectivity.

“Eu sou uma nerd do setor de transportes.”

Como Gerente geral da Trapeze Group no Reino Unido, Lucy Naylor tem acesso a muitos dados sobre transportes, estratégia de desenvolvimento e logística em terra do transporte em massa. Ela gerencia algumas das mais avançadas implementações de software para sistemas inteligentes de transporte do mundo.

Em outras palavras, ela está no lugar certo. Trabalhar com transportes é algo que ela gosta muito e isso tem a ver com sua forma ética e prática de trabalhar.

“Mesmo hoje, eu poderia cuidar de um serviço de ônibus”, diz ela sobre a carreira iniciada como coordenadora de serviços de transporte na Sheffield Community Transportation, em South Yorkshire, Inglaterra.

Atualmente, ela mora em uma pequena vila perto de Manchester, onde praticou jardinagem durante o isolamento social na pandemia, criando uma incrível parede de flores silvestres ao redor de seu jardim que se tornou um paraíso para as abelhas. Tudo isso enquanto lida com as demandas de um bebê pequeno.

“Aos 22 anos, eu era responsável por tudo, desde a compra de veículos até o recrutamento de motoristas”, diz Lucy. “Eu programava as rotas e, para começar, isso era feito no papel, Eu cuidava de todas as reservas, geralmente de senhoras de idade que ou eram muito agradáveis ou gritavam muito. Eu fiz de tudo durante dois anos e meio. Não acho que exista um fundamento melhor que esse neste setor.”

Ela pensou em trabalhar com agrimensura, mas percebeu que não tinha habilidades de desenho, então mudou o foco dos estudos rapidamente para geografia urbana e isso chamou a atenção das pessoas. Lucy aprendeu sobre tudo, desde política africana até transporte e mapeamento sócio-econômico, e decidiu focar na área de transportes.

“Minha dissertação foi sobre transportes. Fiz um projeto de rede e entrevistei fornecedores de transporte”, diz ela.

Coincidentemente, quando estava procurando emprego após a formatura, Lucy viu um anúncio para a coordenadoria de transportes em uma das organizações que ela entrevistou, a Sheffield Community Transportation. Eles lhe ofereceram a vaga de imediato e deixaram uma marca permanente na trajetória profissional de Lucy.

Ela credita seu chefe como alguém à frente de seu tempo, com uma visão de tornar o transporte verdadeiramente acessível: “Para qualquer rota que não gerasse muito dinheiro, ele conseguiria o financiamento, criando uma nova rota, desde que houvesse um propósito comunitário viável por trás dela”, explica Lucy.

“Ele realmente ampliou os limites em termos implementação dessas rotas semiflexíveis e de todas as coisas de que ainda hoje falamos como sendo novidade. Tudo isso em 2003.”

Foi sua vontade de estar na vanguarda do setor que acabou trazendo Lucy para a Modaxo. “Eu trabalhava com um cliente, então sou um daqueles casos raros, quando recrutamos alguém que trabalhava para um cliente”, diz ela, explicando que sua primeira introdução à Trapeze foi o treinamento de software para a empresa de ônibus Sheffield.

“Comecei o treinamento e conheci algumas pessoas da Trapeze. Eu estava totalmente perdida. Na época, ninguém da minha organização sabia lidar com computadores de verdade, então todos recusaram, eu fui a única que sobrou e me tornei responsável pela implementação”, relembra ela ao falar dessa prova de fogo.

Ela até chamou alguns de seus amigos para ajudar a concluir a inserção de dados de rota, no fim de semana, enquanto ainda cumpria suas responsabilidades diárias de trabalho. E quando o novo sistema entrou em funcionamento, ela se tornou a referência da integração do software líder para outras empresas de ônibus filiadas.

Então a Trapeze apareceu e convidou Lucy para trabalhar diretamente com a empresa. Mais de 15 anos depois, ela é mais uma guru dos transportes do que uma nerd.

“Acho que transportar pessoas deve ser algo empolgante. Deve ser algo simples, direto e fácil de entender. Acho que nosso papel é tornar isso compreensível. Parece algo tão básico. Cada aplicativo que entregamos, cada dado, aprimora esse processo e melhora a vida das pessoas.”


Continuar explorando