An orange circle and a purple circle represent connectivity.

A carreira de Christian talvez não seja lá muito típica. Em 2008, depois de mais de doze anos imerso na academia, Christian publicou um artigo sobre algoritmos em uma publicação bastante conhecida no setor. Esse artigo remexeu muitos interesses em diversas empresas.

O Grupo Trapeze foi uma dessas empresas, e partiu em busca de Christian para perguntar se ele estaria interessado em aplicar sua especialização em problemas do mundo real. A Trapeze estava em busca de alguém que entendesse os algoritmos, pudesse lecionar e estivesse interessado em implementar sistemas.

E assim se iniciou sua carreira na Modaxo. Primeiro, tendo a Trapeze como consultora de implementação, e em seguida avançando para assumir novas funções e oportunidades em operações e gestão. Hoje, ele presta serviços de gestão e supervisão a quatro marcas diferentes (PLANit, Malmator, Holmedal e Grupo Trapeze), com foco acima de tudo na demanda por transporte público diligente sob demanda, incluindo táxis, no norte da Europa.

Christian tem saudade da vida acadêmica? Embora ele sempre tenha apreciado o aspecto teórico dos algoritmos e da logística que envolvem o transporte de passageiros, ele está ainda mais empolgado com a possibilidade de colocar essa ciência em prática.

“O transporte de passageiros tem um impacto enorme” – disse ele. “Se você fizer as coisas certas, você afeta muitas pessoas, e se você fizer as coisas erradas, bem, você também afetará muitas pessoas”.

Sua esposa é enfermeira, o que permite a Christian ver em primeira mão o que significa bons meios de transporte para pacientes que precisam se deslocar de e para os hospitais.

“A gente vê algumas das pessoas que estão sendo transportadas e elas realmente não se sentem bem. O mínimo que podemos fazer e nos certificarmos de que eles terão uma jornada segura”.

Christian observa a resposta à demanda nos transportes (de várias maneiras) como uma das coisas mais importantes a serem oferecidas. “É literalmente isso, se o sistema ficar paralisado por algumas horas, vira manchete nos jornais. Isso toca muita gente. É super complexo. É altamente dinâmico” – disse ele.

Portanto, ótimos algoritmos devem ser a parte mais importante na prestação de bons serviços, diligentes, para atender à demanda, certo?

“Apenas parcialmente” – diz Christian. “Quando eu saí da universidade, os algoritmos eram tudo para mim. Se você tivesse um bom algoritmo, o que poderia dar errado”?

O que ele aprendeu com o tempo é que o algoritmo apenas desempenha um papel pequeno no processo. Tem muito mais a ver com as pessoas do que com os sistemas. Ele já viu alguns sistemas funcionando perfeitamente quando são instalados, mas fracassando na aplicação prática, porque não levaram em conta o fator pessoas. “São as pessoas e a organização que utilizam o software, e as pessoas que prestam os serviços que têm um impacto. A pesquisa está cerca de 15 anos à frente da prática” – disse ele.

Quando perguntado sobre o que realmente faz muita diferença no sistema de transporte, Christian declarou: “Creio que os melhores sistemas de transporte público são aqueles que não percebemos. Porque se você não percebê-los, é sinal de que estão funcionando”.

Christian sente que o setor precisa se sair melhor ao atrair pessoas para trabalhar no transporte de passageiros. “Temos uma ótima história sobre o transporte de passageiros e o que fazemos. Não apenas para as pessoas, mas a diferença que ele faz para o meio ambiente, para as pessoas que vivem nas cidades… todas essas coisas” – disse ele.

Seu conselho de carreira para quem está começando agora? “Se você gosta de trabalhar por uma causa nobre, por assim dizer, o transporte de passageiros é um ótimo lugar para atuar. Se você escolher o transporte de passageiros, isso fará sentido agora, mas também fará sentido daqui a 20 anos. E nunca termina – sempre será importante. Bem, até que o teletransporte seja inventado talvez, mas eu não acho que isto vá acontecer tão cedo” – brinca ele.

Fora do ambiente de trabalho, Christian gosta de usar seu tempo livre no seu próprio transporte de passageiros: seu barco a vela. Velejar é um hobby muito popular na Dinamarca, onde ele nasceu e cresceu. A Dinamarca se gaba de seus 8.500 km de litoral a ser explorado. Na verdade, em 2020 ele ficou por três semanas inteiras com sua esposa e seus dois filhos velejando ao longo da costa Leste da Dinamarca. Porém surge a pergunta: Será que ele usa um algoritmo para planejar a rota mais eficiente?


Continuar explorando

Perfil - Steve Dewis

Steve diz: "Minha paixão com o transporte médico é até maior do que pelo transporte público. Eu gosto mesmo da ideia de que estamos ajudando pessoas vulneráveis a marcar suas consultas médicas e a melhorar sua qualidade de vida".

Saiba mais