An orange circle and a purple circle represent connectivity.

Fazer negócios deve ser algo divertido, emocionante e criativo, especialmente quando você está mudando a vida de milhões de pessoas por meio de uma gestão de tráfego aprimorada que afeta a rotina delas.

Portanto, é realmente uma dádiva para o setor de transportes que uma das líderes de tecnologia da Imperial, no Reino Unido, seja uma artista dinâmica que todos imaginavam que iria brilhar nos palcos dos teatros.

Conheça Ashley Bijster, que praticamente cresceu nos palcos, atuando como dançarina, cantora, atriz shakespeariana e até mesmo artista de mímica, que já se apresentou para a Princesa Anne. Ashley é natural de Bristol e hoje atua como Diretora geral de controle de estacionamento e soluções de conformidade. Ela abandonou o piano e os figurinos para trabalhar no computador e desenvolver equipes.

“Eu era bastante impertinente”, revela Ashley. “Terminei o Ensino Médio e iria para a faculdade de Letras e Artes Cênicas. Foi então que decidi entrar para uma banda, para o desgosto dos de meus pais.”

Ela se apresentou por alguns anos, “curtindo” e se divertindo como os jovens fazem nessa idade.  Depois de uma reflexão sobre os próximos passos, o acaso lhe trouxe um emprego na BUPA, a British United Provident Association, uma das primeiras empresas privadas de saúde do país. Foi lá que ela aprendeu sobre vendas na prática, realizou treinamento na central de atendimento e descobriu a importância de uma boa equipe.

“Foi a melhor coisa que eu já fiz. O treinamento foi incrível. Eu amei as pessoas e ainda mantemos contato.”

Foi quando um recrutador a convidou para um cargo de gerente de treinamento em uma grande empresa de serviços gerenciados.  Durante a entrevista, ela fez uma apresentação inspirada em o Mágico de Oz, falando sobre coragem, emoção e razão. “Peguei um sapatinho de bebê, cobri com glitter vermelho e coloquei dentro de uma caixa de sapatos. Fui atrás de um pouco de pelugem, papel-alumínio e fiz uma apresentação toda sobre mentalidade não convencional.”

Ela conseguiu a vaga ali mesmo. Foi uma mudança fundamental na carreira, trazendo Ashley para a área de soluções de TI do governo local e serviços de saúde. Depois, veio o casamento e uma possível mudança para a Escócia, onde ela assumiu outro trabalho de inovação técnica em uma empresa que fornecia software para polícia, setor jurídico e estacionamentos. Ashley gostava mais do setor de estacionamento porque era algo que gerava receita e precisava de intervenções inteligentes para aplicação e pagamento.

“É muito emocionante estar nessa área porque tudo gira em torno dos transportes”, diz ela. “Sempre há algo que você pode fazer e sempre há novas tecnologias surgindo.”

A experiência a colocou em uma trajetória ascendente para gerenciar negócios de tecnologia e conhecer os aspectos internos e externos das fusões e aquisições, além de como lidar com questões comerciais como retenção de clientes, integração de produtos, vendas e definição de equipes.

Ela entrou para a Imperial em 2006 quando a empresa estava trazendo outra empresa de gestão de tráfego, focando em conectividade.  A mudança valeu a pena e se combinou com seus interesses em transportes e estacionamento mais ecológicos e tecnologias de cidade inteligente.

“Sou uma pessoa bastante social e adoro fazer networking. Por isso, me envolvi muito com a British Parking Association e acabei me tornando a presidente. Gostei muito daquele período e foi um verdadeiro privilégio saber que as pessoas votaram em mim como uma figura de exemplo na associação.”Ela credita a associação pela promoção das mulheres em um setor que agora lhes oferece mais oportunidades de desenvolvimento de carreira.

Ashley também tem falado sobre como as soluções de estacionamento se encaixam em uma cidade inteligente e sustentável.

“Trata-se de analisar onde estamos e os tipos de deslocamento que fazemos”, explica ela. O estacionamento está muitas vezes no ponto inicial e final. O foco está em elementos como zonas de ar limpo e livres de emissões, comportamento do usuário e os modais de viagem disponíveis, inclusive bicicletas e scooters.

“Com toda a seriedade, a tecnologia já está ajudando a melhorar a mobilidade urbana. Mas, hoje em dia, estamos apenas no começo. O potencial da tecnologia em transformar verdadeiramente a forma como nos deslocamos dentro e ao redor de nossas cidades é absolutamente enorme. Basta olhar para o progresso que está sendo feito com Inteligência Artificial e Realidade Aumentada, sem mencionar os avanços aparentemente ilimitados no mundo dos aplicativos!  São tempos realmente interessantes e estou empolgada com as prioridades de conectividade e mobilidade da Modaxo.”

Fora do escritório, Ashley é uma pessoa igualmente interessada em esportes, ciclismo e em realizar atividades com seus dois filhos. Quando jovem, ela costumava jogar futebol no time dos garotos porque não havia um time de mulheres na região.

Ashley é uma pessoa que tem muito a agregar.

”Com a tecnologia, se você é criativo, você pode ver coisas que talvez outras pessoas não consigam ver. Acho que isso me ajuda com o papel que eu desempenho.”


Continuar explorando